Resumo Executivo

O Barómetro Regional da Qualidade consiste numa acção estruturante de acompanhamento da Estratégia Regional para a Qualidade na Região Autónoma da Madeira, sendo esta (a Qualidade) entendida em sentido lato, envolvendo as questões associadas não só ao universo empresarial, mas também ao serviço público e à própria cidadania.

Pensar o Barómetro Regional da Qualidade passou por extrapolar e adaptar para uma Região o paradigma e lógica subjacente a Modelos de Excelência (e.g. EFQM, Malcolm Baldrige), concebidos para autoavaliar e caracterizar os níveis de qualidade nas organizações.

O modelo proposto para o Barómetro Regional da Qualidade (apresentado na figura) pode ser interpretado da seguinte forma: com base numa infraestrutura de suporte à qualidade, pessoas e organizações produzem produtos e prestam serviços que conduzem à satisfação de diferentes tipos de partes interessadas (residentes, colaboradores, clientes, utentes, turistas), e se traduzem na obtenção de um conjunto de resultados chave de desempenho.

O modelo acima ilustrado contempla os 6 eixos referidos, que por sua vez se desdobram em 28 dimensões, retratados em 100 indicadores de análise e acompanhamento da qualidade regional. 

 

 Quadro Meios resultados

 

O Barómetro Regional da Qualidade permite aferir os níveis de qualidade na Região Autónoma da Madeira, em diferentes domínios relevantes. Para esse fim, faz uso de uma escala que vai de 1 a 6 estrelas (mais à frente detalhada), conduzindo em síntese
às valorações aqui ilustradas, com um valor final agregado de 4 estrelas, decorrente de um equilíbrio balanceado entre os Meios e os Resultados.

O eixo que apresenta melhor desempenho (5 estrelas) corresponde aos Resultados Chave de Desempenho, sendo que aqueles com menor pontuação (3 estrelas) são os das Pessoas e Organizações.

Ao nível das dimensões, podemos observar que o melhor desempenho se situa na Educação (Infraestruturas de Suporte) e nas Acessibilidades (6 estrelas), enquanto que o valor mais reduzido se situa no Empreendedorismo e Inovação (1 estrela).

 

Tabela 1

 

Uma análise global de todos os indicadores de suporte permitir identificar a existência de resultados especialmente positivos quanto aos seguintes indicadores relacionados com a dimensão Educação: Taxa de Abandono Escolar, Rácio Alunos/Professor no Ensino Secundário, Rácio Alunos/Professor no Ensino Superior e Rácio Alunos/Professor no Ensino Básico. Por sua vez, os valores mais baixos alcançados, em termos de indicadores, dizem respeito aos seguintes indicadores integrados na dimensão de Empreendedorismo e Inovação: Criação de Empresas de Média ou Alta Tecnologia, Despesa em I&D no PIB, Saldo Líquido de Criação de Sociedades Comerciais, e Número de Pedidos de Patentes por 100 000 Habitantes.

Ainda através desta análise global, é possível verificar que um dos indicadores com valores mais reduzidos corresponde à Percentagem da População que Possui Ensino Secundário Completo (25 a 64 Anos). Constata-se portanto que apesar de existirem meios muito bons afectos à Educação, o seu reflexo nas Qualificações das Pessoas, sendo transversal às várias gerações, ainda não se faz sentir de forma suficiente. Uma análise integrada dos eixos de Resultados permite identificar áreas sobre as quais a Região Autónoma da Madeira deverá especialmente concentrar a sua actuação.

Na Satisfação das Partes Interessadas, apenas um dos indicadores se encontra em território não positivo (valores abaixo dos 60 pontos, numa escala de 0 a 100), correspondendo ao Índice de Satisfação do Colaborador do Sector Privado, com 58,9 pontos, e portanto ainda assim muito próximo dos referidos 60 pontos. Ao nível das várias dimensões da Satisfação das Partes Interessadas, o desempenho menos positivo corresponde à dimensão dos colaboradores.

Os indicadores com desempenho mais positivo, ao nível da Satisfação das Partes Interessadas, são o Índice de Satisfação do Turista, o Índice de Satisfação com a Saúde, a Limpeza e Higiene dos Locais, o Índice de Satisfação com a Educação, o Índice de Satisfação com a Administração Pública, e as Acessibilidades Rodoviárias.

De um modo geral, conclui-se portanto que a Região Autónoma da Madeira proporciona já níveis de satisfação percepcionada bastante elevados, quer junto dos turistas quer junto dos seus residentes.

No que diz respeito aos Resultados Chave de Desempenho, os valores mais altos registam-se na dimensão das Acessibilidades, com os valores mais reduzidos a surgirem na dimensão Turismo, nomeadamente no que toca ao indicador Gasto Médio dos Turistas, e nas dimensões do Bem-estar Económico da População e da Coesão Social.

Algumas constatações transversais podem ser igualmente retiradas a partir dos resultados que serão apresentados nas próximas secções, nomeadamente as seguintes:

  • de uma forma geral, existe uma diferença significativa de desempenho dentro das diferentes partes da Região Autónoma da Madeira, com valores mais reduzidos a serem alcançados no Porto Santo.
  • o modo como são geridas e tratadas as reclamações apresentadas, no mais variado tipo de contextos, carece de uma atenção especial e atenção redobrada.
  • ao nível das percepções, alguns domínios com resultados menos positivos prendem-se com os seguintes aspectos: I) Flagelos sociais, como toxicodependência, alcoolismo ou violência doméstica; II) Serviços de Comércio e Restauração; III) Satisfação com o Ensino Superior; IV) Satisfação dos Colaboradores do Sector Privado.

De uma forma agregada, o Barómetro Regional da Qualidade permite aferir a situação actual da Qualidade na Região Autónoma da Madeira e obter um valor do Índice de Qualidade Regional (IQR) que, para 2007, se cifra em 440 Pontos, o que corresponde a uma classificação de 4 Estrelas.

 

440 Pontos

 

 

Voltar ao topo
Pesquisa avançada
 
Pesquisar
Pesquisa avançada

Desenvolvido pela Arkikstudio